transp

Gamificação para empresas: 3 exemplos no Brasil

Muitas empresas já aplicaram suas ideias de gamificação e estão conseguindo ótimos resultados nos últimos anos. Este tipo de estratégia já deixou de ser um terreno obscuro porque são vários os exemplos de gamificação que estão surgindo no país com muito sucesso.

Separei aqui 3 exemplos de projetos de gamificação nas empresas em que trabalhei a gamificação para empresas aumentarem o engajamento dos colaboradores.

Motorola: engajamento interno

Mão segurando celular com layout do aplicativo de gamificação

Na Motorola existe um programa interno que os funcionários podem escolher fazer parte e receber em primeira mão os aparelhos que ainda serão lançados pela empresa.

A intenção é que estes dispositivos sejam testados antes de seu lançamento no mercado, garantindo assim um produto de melhor qualidade. Mas ainda não existia uma comunicação fluida entre a gestão do programa e seus participantes.

Então, depois de uma pesquisa com todos os participantes do programa e pelo menos 40 entrevistas, elaboramos a interface inspirada em uma narrativa de agentes secretos que foi uma ideia vinda do próprio resultado da pesquisa. Veja o teaser do lançamento!

Agora não existe mais um programa de testes na Motorola. O que existe é a DF/Squad, uma organização secreta onde qualquer funcionário pode se alistar como recruta e ajudar a garantir a liderança de mercado da empresa.

O clima mudou e as pessoas se engajaram mais com o programa. O resultado é que gamificação “despertou uma reflexão do quanto a mais cada um poderia se empenhar para melhorar nossos produtos“, segundo Edgar Tanaka, Tech Lead do programa.

Viacredi: multiplicando o conhecimento

Tabuleiro e cartas de gamificação

A maior cooperativa de crédito do país tem entre seus produtos, o consórcio. Um produto complexo, pouco conhecido e que gera várias dúvidas na cabeça do consumidor.

A intenção com a gamificação era gerar alguma competição entre os colaboradores para que eles ofertassem mais o produto e assim aumentassem a participação dele na receita da empresa.

Percebemos então, depois de alguns papos com os funcionários, que o motivo da baixa participação provavelmente tinha relação com o conhecimento deles sobre o produto consórcio. Porque como eles tinham algumas inseguranças em responder as dúvidas dos clientes, acabavam oferecendo produtos menos complexos.

Mudamos um pouco a direção e pensamos em dinâmicas que buscassem gerar conhecimento. Que pudessem dissecar o produto e multiplicar este conteúdo entre as agências.

A solução foi o Desbravadores que virou um boardgame (ou “wallgame”, já que fica na parede) de perguntas e respostas sobre o produto, que acontecem em rodadas semanais. E em alguns momentos na dinâmica existem trocas de experiências e informação entre os colaboradores e até entre agências.

Um exemplo para mostrar explicitamente porque a gamificação antes de ser sobre tecnologia, é sobre pessoas.

Otis: gamificação para empresas no onboarding

Laptop e celular com o aplicativo de gamificação da Otis

A multinacional de elevadores é a empresa que mais transporta pessoas no mundo. E, como toda multinacional, tinham um processo de onboarding de funcionários padrão, onde cada diretor, cada gerente apresenta sua área, onde eles entendem sobre os valores da empresa e seus benefícios.

“Tinham” porque usamos a gamificação para mudar esta experiência de onboarding dos novos colaboradores.

Depois de alguma pesquisa, vimos então que os funcionários se cansavam com todo aquele conteúdo despejado de uma vez. O que fizemos foi quebrar tudo em pequenos textos e vídeos para serem consumidos em uma plataforma online.

Na plataforma os novos colaboradores podem aprender sobre a sua área e todas as outras da empresa. Pode conferir seus benefícios, os programas de incentivo e reconhecimento e ainda interagir com outros recém contratados.

Assim as pessoas já entram na empresa conhecendo todo mundo!

Além de promover esta integração e deixar o conteúdo mais bacana, conseguimos eliminar o processo tradicional de onboarding que consumia tempo da empresa, dos diretores e dos novos colaboradores.

Concluindo

Com tantos exemplos de gamificação surgindo, já não resta dúvida de que é uma estratégia que funciona e muitas empresas já estão se aproveitando dela. É só seguir três grandes etapas no planejamento que as chances de dar certo aumentam bastante. Primeiramente conheça bem o público, depois procure alinhar os objetivos pessoais com os da empresa e por fim, implante e teste muito.

Espero que tenha te inspirado em algumas ideias por aí! Se quiser saber mais sobre esta estratégia é só me seguir lá no Linkedin ou entrar em contato por aqui mesmo!

Rolar para o topo
Acompanhe também pelo Telegram!
https://t.me/gamificacao